para amantes da sociologia
blog de ciências humanas

Resenha: A Vida e a História de Madam C.J. Walker

A vida e a história de Madam C.J. Walker

Por: Beatriz Avelino

Minissérie de 4 episódios
2020 / 60min / Drama, Histórico, Biografia
Título original : Self Made: Inspired by the Life of Madam C.J. Walker
Direção: Nicole Asher
Elenco: Octavia Spencer, Tiffany Haddish, Carmen Ejogo
Nacionalidade EUA
Canal original Netflix

Madam CJ Walker e Octavia Spencer


Esta minissérie aborda questões interseccionais, estreando Sarah Breedlove como protagonista, mais conhecida como Madam C.J. Walker, interpretada pela atriz Octavia Spencer, que é famosa por trabalhar em obras com assuntos como este, por exemplo, o filme Histórias Cruzadas.

Pode-se dizer que não foi nada fácil para Madame Walker chegar em um nível tão alto, passando de uma simples e injutiçada empregada doméstica, para a primeira mulher milionária, em 1910. Tudo começa quando Addie Monroe, a cabeleireira de quem Sarah era empregada, inventa um elixir capilar para mulheres negras, que na época seguiam o padrão de beleza imposto pela sociedade branca. A madame propõe uma parceria de trabalho com Addie, que a rejeita por ela ser considerada feia e mais escura, ou seja, fora dos padrões. Logo, a protagonista decide criar o seu próprio negócio, o que atrai muitas mulheres negras para o ramo. Começou trabalhando na casa de seu sogro, com a ajuda de sua filha e genro, e de seu marido, C.J Walker, de quem ela adotou o nome.

Madame Walker, aos 40 anos já havia se tornado mais rica do que muitos homens brancos, isso foi tudo graças a sua persistência e insistência. De início, muitos homens zombavam de seu trabalho, em várias cenas o machismo e o racismo com ela são bem retratados, em uma cena em específico, ela faz uma festa em sua casa para conseguir um bom patrocinador, que não comparece por achar que ela era incapaz de criar algo. Ela vai até à reunião com apenas empresários homens, e mostra seu empreendedorismo e projetos, e acaba empoderando mais mulheres, formando o seu próprio ''exército''. Seu marido C.J não fica contente ao saber que ela estava ganhando mais fama, e, ao pensar que sua ajuda não era mais válida, resolveu se ''divertir'' com outra mulher, Sarah descobre e finaliza o casamento.

No auge de sua carreira, Madame Walker, enfrenta problemas com o ex marido, que reaparece tentando reatar, porém, ela o recusa, com isso, C.J planeja derrubá-la profissionalmente, mas falha. Sarah também enfrenta problemas de saúde e seus dias estavam contados. Ela decide planejar uma grande festa que fazia parte de seus sonhos, pede pra que seja feita o mais rápido possível, por medo de partir antes. Um de seus desejos era ter herdeiros (netos) mas sua filha era homosexual. Ao saber disso, a madame fica furiosa e acaba sendo homofóbica com a moça, estragando seus planos. Contudo, em sua festa, ela acaba conhecendo uma jovem orfã que sería a nova modelo de seus produtos, e resolve adotá-la, aceitando as escolhas da filha e a deixando livre.

Para concluir, ''A vida e a história de Madam C.J. Walker'', é uma ótima minissérie, que aborda assuntos muito interessantes, como o empoderamento feminino, racismo, machismo, homofobia, e também, quebra de tabus, que foram muito bem representados em apenas quatro episódios, mostrando que, uma mulher, assim como um homem, é totalmente capaz de realizar seus sonhos e crescerem na vida, também mostra que a beleza feminima não deve seguir um padrão. E que, uma mulher não precisa ser submissa e nem necessita de um homem para sustentá-la, pois todas são capazes de cuidar de si mesmas, sozinhas.

Nenhum comentário