para amantes da sociologia
blog de ciências humanas

Resenha: Com Amor, Simon e a importância de combater preconceitos

 Por Kétlyn Gabrielle dos Santos da Silva

Com amor, Simon

Livro: 2015 / EUA

Autora: Becky Albertalli

N° Páginas: 303


Filme: 2018 / 1h 49min / Drama, Comédia , Romance / EUA

Direção: Greg Berlanti

Elenco: Nick Robinson, Katherine Langford, Jennifer Garner

Disponível: Youtube Filmes

Livro: Amazon 

Trailer: Youtube


Segundo a historiografia do filme Com amor, Simon, podemos verificar que o personagem principal, Simon Spier, tem medo e insegurança de assumir sua homossexualidade por constantemente ouvir seu pai fazendo piadas dos “chamados” gays, e também pelo constante bullying com o assumido de sua escola, por simplesmente estar sendo quem ele realmente é.

Observando um passado próximo, nota-se que no dia 17 de maio do ano de 1990, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMG), a homossexualidade foi deixada de ser considerada uma doença, mas constantemente para muitas pessoas ela ainda é vista dessa forma, o que acaba arriscando a vida de vários indivíduos, deixando-as com ferimentos leves, graves, vezes até a morte. Todos os casos que vemos deixam não apenas Simon, como todos nós temermos ser quem somos.

Observando esse cenário, medidas precisam ser tomadas, como as leis existentes terem um funcionamento melhor e o principal, ser aprovado a educação sexual nas escolas. Essa educação é falada que é função dos pais, mas muitas vezes não a temos, já que de acordo com Arcaria, 75% dos casos de denúncias de violência sexual são envolvidas no ambiente familiar. 

Essas ações não só ajudarão os homossexual, como também as outras pessoas com diferentes sexualidades e identidades, e poderá diminuir, futuramente, o machismo, a homofobia, a transfobia, dentre outras formas de preconceito, fazendo nós nos entendermos melhor. 

Outra solução que poderia ter, seria que cada escola deveria ter uma psicóloga (o) a disposição de seus alunos, podemos com isso ajudar muitos alunos e evitar que situações como o abuso sejam vistos em vários cenários.



Nenhum comentário