para amantes da sociologia
blog de ciências humanas

Max Weber: Ação Social


Por Jeniffer Modenuti e Marcela Arai


Ação social

As ciências humanas precisam compreender os processos da experiência humana que são vivos, mutáveis, e que precisam ser interpretados para que se extraia deles o seu sentido. Ao aplicar o método da compreensão aos fatos humanos sociais, Max Weber elabora os fundamentos de uma sociologia compreensiva ou interpretativa. 

Para Weber, a sociedade por ser compreendida a partir do conjunto das ações individuais. Estas são todo tipo de ação que o indivíduo faz, orientando-se pela ação do outro.

A sociologia é encarregada de explicar a ação social, buscando suas causas, efeitos e regularidades (fenômenos que obedecem a uma regularidade causal).
             
Seu objeto de estudo, a ação social, busca captar a relação de sentidos, extraindo todo o conteúdo simbólico das ações que a configuram, ou seja, todo fato que está carregado de sentido.

Para Weber, é possível entender a sociedade tomando como ponto de partida as motivações dos indivíduos ao agirem diante das demandas sociais.

AÇÃO: toda conduta humana (ato, omissão, permissão) dotada de um significado subjetivo dado por quem executa e que orienta essa ação.

AÇÃO SOCIAL: quando a orientação tem em vista a ação de um outro ou de outros agentes. Só existe ação social quando o indivíduo tenta estabelecer algum tipo de comunicação, a partir de suas ações com os demais.

Para compreender uma ação social é necessário observar o contexto em que ela ocorre, e que só tem significado quando envolve outro indivíduo.

A explicação sociológica busca compreender e interpretar o sentido, o desenvolvimento e os efeitos da conduta de um ou mais indivíduos referida a outro ou outros, não se propondo a julgar a validez de tais atos nem a compreender o agente enquanto pessoa.
“Ação compreensível é ação com sentido.”
Weber estabeleceu 4 tipos ideais de Ações Sociais. Estes são conceitos que explicam a realidade social, mas não são a realidade social. Compreenda-os como pontos de partida para pensar a sociedade e suas conexões.

Os 4 tipos de Ações Sociais foram separadas na ordem da mais espontânea para a mais racionalizada. Veja o que segue:

1) Ação Afetiva: determinada por afetos ou estados sentimentais. Ela é motivada e gerada pelos sentimentos de seu agente em relação aos outros.
Exemplo: brigas entres torcidas, motivadas pelo sentimento de rivalidade; brigas motivadas por ofensas entre dois agentes; consolar um amigo que sofreu alguma perda; uma declaração de amor.
2) Ação Tradicional: determinada por um costume ou um hábito arraigado. 
Exemplos: pedir benção aos mais velhos; usar pronomes de tratamento; cumprimentos como bom dia, boa tarde, boa noite; a noiva que joga o buquê. Essas ações são motivadas pelo costume, pelo "ontem eterno".
3) Ação Racional com Relação a Valores: determinada pela crença consciente num valor considerado importante, independentemente do êxito desse valor na realidade. O sentido não se encontra na consequência, mas na própria conduta.
Exemplo: Kamikazes e homens bombas, motivados pelo valor de honra e dever para com sua nação ou deus. Nessa situação de suicídio, o agente assume a responsabilidade sobre o ato de tirar sua vida (ato racional), levando em conta seus valores e suas crenças.
4) Ação Racional com Relação a Fins: determinada pelo cálculo racional que coloca fins e organiza meios necessários para alcançar tais finalidades.
Exemplo: Estudar motivado a ter um diploma, conseguir um emprego ou passar no vestibular; o cálculo prévio antes de investir em algum negócio; os estudos e cálculos de um engenheiro antes de construir uma ponte.

Relação Social 

Defini-se como múltiplas condutas orientadas pelo mesmo sentido, que se perpetuam. A relação social é o conceito coletivo de Ação Social, visto que se caracteriza como uma tendência provocada pela ação social.

As relações sociais estão dotadas de um conteúdo significativo, onde as relações são recíprocas e correspondentes, sendo que cada indivíduo age em conformidade com uma grande probabilidade de que outros agentes também constituam relações sociais de determinados tipos, dotadas de específicos significados, como o casamento, por exemplo. 

Onde todos compreendem o sentido e significado da ação – aí está uma relação social.

Nenhum comentário