para amantes da sociologia
blog de ciências humanas

Análise sociológica do filme “Revolução em Dagenham” (2010)

Atividade de reflexão, análise crítica, interpretação e produção orientada pela Profª Jeniffer Modenuti
Análise sociológica do filme “Revolução em Dagenham” (2010)


Com este filme podemos refletir sobre: os papéis sociais de gênero, preconceitos, discriminações sociais e de gênero, relações de trabalho, a inserção da mulher no mercado de trabalho, trabalho especializado, sindicalismo, situação de classe, movimentos sociais trabalhista e feminista, relações de poder, dominação e liderança, direitos sociais, direitos civis e direitos trabalhistas.
 


Conteúdos Trabalhados:
v  Interpretação
v  Análise
v  Argumentação
v  Produção de texto

Recursos:
Data show, computador, caixa de som.

O filme retrata uma história real. Trata-se de uma greve que ocorreu na cidade de Dagenham, no Reino Unido em 1968, onde pela primeira vez, nas fábricas da Ford, as mulheres paralisaram suas atividades reivindicando, para além de melhores condições de trabalho, salários iguais. Esta greve foi responsável pela lei criada em 1970 no Reino Unido que defende a equiparação salarial entre homens e mulheres que exercem as mesmas funções. Além disso este filme é um retrato das relações de submissão que as mulheres se viam em uma sociedade essencialmente patriarcal, ao passo que mostra a importância da mobilização política na luta por direitos. Essas mulheres lutaram por direitos, e não por privilégios.

Questões para serem respondidas por todas as turmas:
1 – Na sua percepção os realizadores do filme conseguiram passar que mensagem? Justifique sua resposta.
 2 – Você assimilou/aprendeu alguma coisa com este filme? O que?
 3 – Do que você mais gostou neste filme? Por quê?
 4 – Algum elemento do filme não foi compreendido?

Estudo Direcionado ao 1º ANO
Em sociologia aprendemos a olhar a sociedade com um olhar apurado para que possamos apreender as diversas questões sociais que perpassam a nossa realidade. Neste segundo bimestre estamos aprendendo sobre a relação entre indivíduo e sociedade.
5 – Aponte cenas em que é possível percebermos as diferenças entre os papéis sociais masculinos e femininos de acordo com a sociedade inglesa ocidental da década de 1960?
6 – Qual relação você percebeu entre o preconceito que as mulheres sofriam e a questão dos direitos sociais e trabalhistas que elas tinham acesso no momento em que a história do filme se passava?

Estudo Direcionado ao 2º ANO
Ao estudarmos o Trabalho no Capitalismo atual aprendemos sobre diferentes sistemas de produção, e a crítica sociológica às contradições sociais, econômicas e políticas geradas pelo capitalismo.
5 – Quais aspectos do sistema de produção Fordista você pode identificar no filme?
6 – Qual era a situação dos trabalhadores da Ford na época em que se passou a história do filme?
7 – No filme como pôde ser possível apreender a relação entre Sindicatos, Classes Sociais e os Direitos Trabalhistas?

Estudo Direcionado aos 3º ANO
Karl Marx define o Estado como “o comitê que administra os interesses da burguesia”. O papel do Estado como mediador de conflitos é retratado no filme, no embate entre as operárias e a Ford. Em vários momentos é possível percebe a pressão empresarial sendo exercida sobre o Estado Inglês para que a greve seja fracassada e a produção volte à normalidade. Essa pressão se intensifica diante ao não apoio ou a contestação dos homens em respeito à greve das mulheres, a exemplo que durante o filme destacam-se diversos discursos que delegam às mulheres posição de inferioridade ou incapacidade ao compará-las aos homens. O clímax se resume na fala da protagonista “direitos não são privilégios”. Construa um texto dissertativo-argumentativo explorando reflexões políticas que podemos extrair deste filme, correlacionando-o ao que aprendemos com a Sociologia.



 Bom trabalho!

Nenhum comentário