para amantes da sociologia
blog de ciências humanas

Classes e estratificação social: classes

Situações de Classe em Max Weber

 Não existe uma única concepção de classe social na Sociologia. Uma de suas correntes insiste que os critérios de sua definição devem estar centrados em elementos objetivos, ou seja, na posição dos indivíduos no mundo da produção material, basicamente. Essa orientação segue, em termos gerais, a perspectiva marxista que veremos a seguir.
Outra corrente, a weberiana, parte do pressuposto de que não somente a riqueza, a posse e a renda são fatores de diferenciação social, mas também o são o status, a honra, o prestigio e o poder. (TOMAZI, Nelson D. Iniciação à Sociologia. SP. Atual, 2000).

Weber afirma que podemos considerar como pertencentes a uma mesma classe as pessoas que têm em comum idênticas oportunidades de vida, as quais estão fundadas na posse de bens, de rendas e na posição ocupada no mercado de trabalho.
Esses elementos definem a situação de classe, a qual é caracterizada pelas possibilidades que os indivíduos possuem de utilizarem as oportunidades em seu favor. Por isso, para Weber, ter propriedade ou não ter não é um dado fundamental para entender a situação de classe na sociedade capitalista. Outro dado definidor da situação de classe está relacionado, entre aqueles que não têm propriedade, ao tipo de serviço que podem oferecer no mercado.
O tipo de serviço que pode oferecer no mercado é que enquadraria o indivíduo em uma dada posição de classe. Os profissionais mais qualificados, como médicos, engenheiros, dentistas, advogados, etc., são qualificados em grupos diferentes daqueles trabalhadores menos qualificados, pelo tipo de serviço que vendem no mercado de trabalho e / ou de serviços.
De que maneira tais critérios têm um fundamento objetivo? No sentido de que eles são definidos com bases em valores sociais convencionalmente estabelecidos em uma dada sociedade. Para a família e os colegas de um jovem nascido em uma sociedade cujo o valor maior é o consumo de bens, parece natural que a vida dele seja inteiramente direcionada para a busca desses bens, que expressam uma posição de destaque perante os demais. Um carro sofisticado pode ser citado como exemplo de um símbolo de status que visa garantir reconhecimento ao seu proprietário e distingui-lo dos demais indivíduos.

AS CLASSES SOCIAIS: A Perspectiva Weberiana


As lutas de classes em Weber somente podem ser entendidas no âmbito das situações de classe discutidas anteriormente. As argumentações de natureza geral sobre a polarização antagônica são de pouca validade, segundo ele.

As modificações que ocorrem no passado, por exemplo, eram, para Weber, fruto de lutas que expressavam deslocamentos nas situações de classes, em que os indivíduos perdiam posições de poder, de prestigio e a possibilidade de oferecer seus serviços ou produtos no mercado.
Para Weber as lutas de classes se deram em determinados contextos históricos e ainda se dão atualmente tendo, em ambos, como fator desencadeador o avanço tecnológico e as alterações da vida social. Na Antiguidade, por exemplo, os camponeses endividados lutavam contra credores que, por dividas, os queriam sujeitar a condições subumanas. Os artesãos na Idade Média lutavam bravamente contra o exercício de suas atividades por indivíduos que se deslocavam do campo para a cidade, criando as corporações de ofícios.
Desse modo, as lutas de classes cortam horizontal e verticalmente a sociedade e não se dão somente entre classes diferentes, mas também internas a mesma situação de classe. No âmbito de uma mesma classe podem ocorrer lutas para manter posições de poder, de prestigio e mesmo a possibilidade de realização de atividades, de uma maneira que acaba se tornando ultrapassada com o desenvolvimento tecnológico e da realidade social.
Segundo Weber, é necessário contextualizar as diversas formas de luta existente nas diferentes organizações sociais. Apreender as especificidades dessas lutas em cada momento da história, é compreender como em outra sociedade (antiga e medieval, por exemplo), e não só a capitalista, existiram classes e também lutas entre elas e que formas de ação das classes são próprias de cada momento da história, sendo que referente ao sistema capitalista a questão primordial e definidora da luta de classes é a determinação do preço do trabalho.



(O texto não pertence a este blog. Reprodução para fins didáticos, não visa obtenção de lucros.) 

Nenhum comentário