para amantes da sociologia
blog de ciências humanas

Produção e Reprodução da vida Social e Material em Karl Marx


Por Jeniffer Modenuti



Bases materiais de análise da vida correspondem à análise da sociedade partindo do fundamento da produção da vida material.

Os homens precisam satisfazer suas necessidades. A satisfação das necessidades humanas constitui a condição fundamental de toda a história. Ao trabalhar para suprir suas necessidades os homens estabelecem relações com a natureza e com outros homens.

Os homens modificam e transformam a natureza, usufruindo dela conforme julguem preciso. É através desse processo que o homem produz seus meios de vida e sobrevivência e se humaniza. É através do trabalho, considerado a principal atividade humana, que o homem cria e recria a sua história.

A análise de Marx sobre a sociedade capitalista, sua compreensão e superação, teve como método o materialismo histórico e dialético, no qual ele partiu do estudo histórico e seu debate para poder compreender o desenvolvimento da sociedade.

Dentro desta visão histórica, Marx observou que as diferentes sociedades se constituíram em volta da forma como os indivíduos produziam sua vida material. Em outras palavras, a maneira como os homens se relacionam com a natureza para dela tirar seu sustento e suprir suas necessidades e a forma como os homens se relacionam com outros homens para produzir, constituem a formação das sociedades.

Forças Produtivas...
Neste ponto torna-se necessário apresentar dois conceitos, o de forças produtivas e o de relações sociais de produção. Ambos conceitos encontram-se interligados, onde alterações em um destes reflete modificações no outro.
Sobre as forças produtivas é necessário delinear a ação humana sobre a natureza e a maneira de retirar dela objetos necessários, o que envolve técnicas, instrumentos, habilidades, em suma, os meios de produção e a força de trabalho.

Relações Sociais de Produção...
No que se trata das relações sociais de produção, classificam-se como tais a divisão social do trabalho, a forma como os homens se organizam para produzir e como distribuem suas forças produtivas e partilham a produção.

A produção variará conforme o grau de desenvolvimento das forças produtivas. Conforme os homens adquirem ou aprimoram novas forças produtivas, também se transformará a maneira dos homens se organizarem para produzir, ou seja, alteram-se as relações sociais proeminentes dessa base material.

Marx, quando escreve os "Fundamentos da História" diz que o que os indivíduos são depende da sua forma de produção, da maneira como se relacionam e se organizam para produzir, pelo aperfeiçoamento de suas forças produtivas e o grau de sua divisão do trabalho.

As relações sociais são inteiramente interligadas às forças produtivas. Adquirindo novas forças produtivas, os homens modificam o seu modo de produção, a maneira de ganhar a vida, modificam todas as relações sociais. O moinho a braço vos dará a sociedade com o suserano; o moinho a vapor, a sociedade com o capitalismo industrial.” (MARX, A miséria da filosofia, 1847). http://www.culturabrasil.org/marx.htm

Marx define social como relações conjugadas de vários indivíduos que estão inseridas num determinado momento histórico.

Produzir a vida através do trabalho é uma relação dupla: por um lado é uma relação natural, e por outro é social.

Cada modo de produção encontrar-se-á ligado a uma modalidade produtiva, a um tipo específico de cooperação inserido naquele período histórico.

O homem é produto do seu meio social: a existência precede a consciência em Marx, sendo os homens historicamente e materialmente determinados a construírem suas vidas de acordo com as condições matérias de sua existência, obedecendo às forças produtivas e relações sociais de produção.


Referência:

MARX, Karl. Os fundamentos da história. In: Karl Marx: Sociologia. Org.: Octavio Ianni. São Paulo: Ática. 1979.

Nenhum comentário