para amantes da sociologia
blog de ciências humanas

KARL MARX: Dialética e Materialismo


Por: Jeniffer Modenuti

Dialética é um conceito antigo, existe desde a Grécia Antiga, contudo ganhou mais visibilidade com o filósofo alemão Wilhelm F. Hegel.

Trata-se de uma concepção sobre o princípio de evolução da natureza e da sociedade.

“Cada conceito possui em si o seu contrário, cada afirmação, a sua negação. O mundo não é um conjunto de coisas prontas e acabadas, mas sim o resultado do movimento gerado pelo choque destes antagonismos e destas contradições” (SPINDEL, A. O que é socialismo)

Para Hegel a realidade é a forma fenomênica da ideia. São as ideias condicionam a realidade observável, são elas que explicam o mundo.

O homem, segundo Hegel, transforma ativamente a realidade, mas quem impõe o ritmo e as condições dessa transformação ao sujeito é, em última análise, a realidade objetiva. Para ele, a superação dialética é simultaneamente a negação de  uma determinada realidade, a conservação de algo de essencial que existe nessa realidade negada e a elevação dela a um nível superior.
 
 
    “O botão desaparece no desabrochar da flor, e pode-se dizer que é refutado      pela flor. Igualmente, a flor se explica por meio do fruto como um falso            existir da planta” (HEGEL)

Hegel era um filósofo idealista, ou seja, ele subordinava a realidade à ideia. Dizia ele que era o pensamento, a consciência, que gerava a realidade. A razão que domina o mundo e o condiciona.

Marx inverte a dialética de Hegel e articula a dialética e o materialismo sob uma perspectiva histórica.

A consciência deve refletir a realidade objetiva. O ponto de partida para a análise do movimento, da história é o prático, a necessidade, recorrendo à ideia de materialismo. Ou seja, o ser social determinará a consciência.

É a materialidade em que o homem se encontra que irá determinar a sua forma de pensar. São as condições materiais, históricas e sociais que condicionam o pensamento do homem.

DIALÉTICA OU MOVIMENTO DIALÉTICO: método de análise da realidade que consiste na constante superação do conceito que já temos apresentado. Cada novo conceito elaborado pode, portanto, ser negado, questionado, e então reelaborado.

MATERIALISMO DIALÉTICO: Análise da realidade (criada pelos homens), por meio do movimento dialético.

MATERIALISMO HISTÓRICO: Análise da história a partir do modo como os homens se organizam para produzir.

O materialismo histórico consiste em conceber a produção historicamente diversa da vida material como elemento condicionador, em geral, da produção da vida social, política e espiritual.

Compreendendo a base material da vida – que são as formas como o homem se organiza para produzir e como produz - como estrutura sua produção.

Este método admite um estudo em que deve-se observar os fenômenos sociais, políticos, culturais, ideológicos, como produtos de uma estrutura/base material, que se referem às formas como o homem produz e as relações que estabelece para  produção. O homem como fruto daquilo que ele próprio produz.

Referências:
QUINTANEIRO, et al. Um toque de Clássicos: Marx, Durkheim e Weber. Belo Horizonte: UFMG. 2002.
KONDER, Leandro. O que é dialética. Brasiliense. 25ª ed.

Nenhum comentário